África do Sul

Hospedagem no The Backpack, Cape Town!

Quando estava buscando hostels em Cape Town, o The Backpack me chamou muito a atenção. Pelo site, vi que a decoração era toda descolada, boa localização e, o melhor, eles eram super envolvidos em projetos sociais locais!

The Backpack

Chegando lá para minha hospedagem, pude ver que todos estes itens eram verdadeiros! O restaurante é decoradinho, cada quarto tem uma temática (e nome de personalidades sul-africanas!) diferente, há uma vista linda para a Table Mountain – cartão postal da cidade – e, siiiim, super comprometidos com projetos locais!

Várias explicações pelas paredes, caixinhas para doação espalhadas e, olha que show: uma lojinha em frente à recepção com possibilidade de comprar produtos que ajudam no desenvolvimento da comunidade local!

The Backpack
A piscina!
The Backpack
E eu posando com a Table Mountain ao fundo kkk

Fiz o check in e logo fui para meu quarto. Apesar de oferecer quartos compartilhados, individuais com banheiro, duplos, de casal, etc, o meu era individual com banheiro compartilhado.

Não dei muita sorte. Achei-o demasiado perto do banheiro (podia ouvir a descarga dos outros…), um pouco apertado (se comparado com os outros quartos do hostel), a persiana não fechava direito – o que permitia que as pessoas de fora me vissem – e o cofre, quebrado…

Fui pedir ajuda na recepção para o conserto do cofre e sugeriram que eu usasse os externos, abertos a todos.

Fiquei um pouco decepcionada com a alternativa, mas ok. O banheiro, mesmo que compartilhado, estava sempre limpo e haviam muitos, nunca sendo necessário esperar algum desocupar.

The Backpack

The Backpack

The Backpack
Os cofres comuns a todos

O que ganhou destaque foi o café da manhã incluso… que completo! Estou acostumada a hostels oferecerem um pão seco com manteiga, no máximo um suco. No The Backpack não! Quase um buffet, estilo de hotel mesmo. Frutas, croissants, geléias, enfim… ótima variedade.

The Backpack
Café delicioso servido das 7h às 10h todos os dias, incluso na diária!

The Backpack

Outra coisa que me chamou a atenção é que eles não tem aquele comportamento de hostel “galera, vamos pra balada, todo mundo junto às 20h aqui no bar” etc etc. Pelo contrário, há um board bem completo com recomendações do que fazer dia a dia, mas cada um na sua.

Percebi que muitas famílias e grupos grandes se hospedam por lá, o que deve ocorrer pela alta qualidade dos quartos e sua personalidade quase que hoteleira. Isso reflete no estilo mais tranquilo do hostel, sem grandes comoções e atividades de integração entre os hóspedes.

The Backpack
Quadro das atividades sugeridas nos dias… mas cada um por si!
The Backpack
Decoração descoladinha

Para os mais mochileiros como eu, em busca de novas amizades e aventuras, o jeito de se conhecer gente é no bar/restaurante do hostel, enquanto se usa a internet ou toma-se uma breja.

Conheci pessoas incríveis que depois foram badalar comigo pela Long Street, rua dos jovens festeiros e a 10 minutos de caminhada do The Backpack.

The Backpack
Sala comum
The Backpack
Eu gostei muito das estampas pelos ambientes!
The Backpack
Caminho para meu quarto

Algumas das comodidades:

  • uma cozinha compartilhada bem completa
  • piscina que bomba no verão
  • máquina de salgadinhos
  • caixa de banco eletrônico dentro do hostel
  • wifi em toda a propriedade
  • estacionamento grande e amplo
  • uma lojinha super completa – e com preços ótimos! – que ajuda na comunidade local.

Para mim, a lojinha é o ponto alto do The Backpack.

The Backpack
Cozinha comunitária bem completa!

The BackpackThe BackpackThe Backpack

The BackpackThe BackpackThe Backpack

Projetos Sociais

Por falar em comunidade local, eles tem 5 projetos principais, que valem ser mencionados:

GCU (Great Comission United) Academy – trabalha com de jovens de baixa renda no combate ao desemprego juvenil e luta contra inserção de jovens em gangues locais. Para isso, foca muito em Educação nas escolas da região. Também investe no esporte e artes cênicas como maneira de quebrar o ciclo vicioso de violência em que os jovens estão inseridos.

Baphumele Children’s Home – este é um lar temporário para crianças e jovens com HIV/AIDS. Ajuda a conscientizar a comunidade de Khayelistha e região sobre saúde básica, desemprego, cuidados infantis, etc.

Vallie’s Stich and Bitch – este programa permitiu que mais de 100 cobertores fossem tricotados para órfãos com AIDS da creche Baphumelele. Por todo The Backpack há possibilidades de tricotar por aí, ajudando no programa. Eles aceitam doações de lã, tá?

Mdzananda – clínica de serviços veterinários para animais da comunidade de Khayelistha. Fazem consultas, clínicas móveis, feiras de adoção…

Pack for a Purpose – esta associação norte-americana faz a ponte entre viajantes que querem ajudar as comunidades locais que visitam. Deixando roupas, alimentos e itens necessários (veja o site!) nos locais parceiros – como o The Backapck em Cape Town -, eles entregam a quem realmente precisa na região. Por exemplo, deixei um par de botas que não ia usar mais no meu quarto no hostel, que será enviado a alguma instituição social parceira na cidade.

Cape Town_The Backpack (41)

Impressões

Além dessa inciativa bacana que se reflete em todo lugar e no seu lema – “Escolha fazer a diferença. É como trabalhamos, é como vivemos, é quem somos” – eles tem um Centro de Turismo que auxilia na reserva de passeios, tours, aluguel de carros, sugestão de atividades… quase que um concierge hahaha

Cape Town_The Backpack (20)

Em geral, tive uma ótima experiência no The Backpack e o recomendo para quem busca uma estadia “mochileiro luxuosa”! Os preços são ótimos, dependendo da acomodação, variam de R$50 até R$420, ideais tanto para viajantes solo quanto para famílias e grupos!

Beijos,

Amanda


A acomodação foi oferecida ao blog amandAqui como cortesia, o que não interfere na opinião expressada neste post.


 

Opine aqui à vontade!

Deixe uma resposta

0 comentários