Guia Paris: completo e definitivo!


Mais uma colaboração no ar! Dessa vez, quem divide super dicas é a Sofia de Compostela, amiga minha de anos e super viajante! Na verdade este guia já havia sido escrito por ela há algum tempinho, daí quando me mostrou, implorei para compartilhar no blog! E o resultado está aí! Mega obrigada, Sosô!


Este guia está divido por categorias: Museus, Castelos, Monumentos, Cemitérios, Igrejas e Catedrais, Outros, Estações de Metrô, Parques de Diversão, Bairros, Jardins e praças, Para Comer, Compras, Transporte e Para Sair à Noite.

Usem e abusem dele! Hehe

DSC02908
Paris à noite…

Museus

Museus de arte

  • Louvre: dizem que o Louvre não é um museu, são vários museus dentro de um só, isso por causa da enorme coleção do museu, que inclui peças do Egito e Roma, gregas e Renascentistas, africanas e europeias. Para conhecer o Louvre inteiro é necessário uma vida, então o jeito é escolher as áreas que mais interessar. Tem as obras clássicas, as mais famosas do museu e imperdíveis: Mona Lisa, Coroação de Napoleão (tem uma outra versão dessa no castelo de Fontainebleau), Vênus, Eros e Psique, Vitória Alada, aposentos do Napoleão III, a liberdade guiando o povo do Delacroix, o cativo do Michelangelo. Antes de ser um museu, o Louvre foi sede do governo monárquico francês. Reúne peças da Antiguidade ao séc. XVIII.
  • D’Orsay: o museu fica em uma antiga estação ferroviária, tem uma arquitetura belíssima e abriga obras do século XIX e XX. Para mim o museu d’ Orsay é aquele que tem os pintores certos e as obras certas. Van Gogh, Renoir, Monet. Infelizmente não é permitido tirar fotos. Tem uma sala que para mim é a mais incrível de todas: várias obras do Monet, a ponte japonesa, três das quatro versões da Catedral de Rouen. Quinta-feira ele fica aberto até a noite. Também é muito grande e não dá para ver tudo, o jeito é selecionar
DCIM101GOPROGOPR2936.
D’Orsay ao fundo
  • Pomp Dou: museu de arte moderna. Para quem ama arte moderna é um prato cheio, para quem não gosta também vale a pena por causa da arquitetura do prédio, da vista do último andar e porque tem coisas incríveis. Há basicamente 3 exposições: exposições temporárias, um andar com as obras/instalações, bem arte moderna mesmo e um andar com pinturas que tem inclusive obras do modernismo brasileiro, como quadros da Tarsila do Amaral. A livraria/loja é sensacional, vale a pena dar uma passada, mesmo que não queira comprar nada.

Vale muito a pena ir aos três museus citados acima. Eles compõe a “trilogia dos museus”. É como se fosse uma linha do tempo, o Louvre com as obras mais antigas, passando pelo D’Orsay e, por fim, o George Pomp Dou com as obras mais modernas.

  • Museu de Luxembourg: museu particular, tem sempre alguma exposição nova. Quando eu fui era sobre o impressionismo, uma exposição de muito bom gosto e bem montada, ia começar depois uma da Dinastia Tudor.
  • Orangerie: sou suspeita para falar desse museu, porque era o meu sonho visitar o lugar que tinha os painéis do Monet. No primeiro andar, existem duas salas em formato oval, juntas elas formam o símbolo do infinito. Em cada uma dessas salas há quatro painéis do Monet. São lindíssimos, não existe sensação igual. É legal chegar bem pertinho do quadro e depois observar de longe, só Monet para conseguir produzir esse efeito. Infelizmente não é permitido tirar fotos na Orangerie. Descendo a escada, tem obras do Picasso, Cézanne, Matisse (se não me falha a memória), Renoir que vale a pena ver. Tem uns pintores x também, nesses passei bem rápido hehehe. Quase fui à falência na lojinha desse museu, tem coisas lindas. Fica perto do Louvre.
  • Museu Marmottan-Monet: é a casa de um antigo mecenas (Marmottan) e tem muitas obras do Monet. Nos andares superiores é a casa mesmo, tem móveis, itens de decoração, muito bonita, bem cuidada e conservada. Nos andares inferiores são painéis de Monet (lindos, mas os da Orangerie são mais bonitos) e obras dele, inclusive caricaturas. A obra fundadora do impressionismo “Impressões ao sol nascente” está aqui. Também não é permitido fotografar.
  • Museu do Picasso: fica no bairro do Marais, é um museu temático do Picasso, para quem gosta do artista é um prato cheio. No último andar tem outros pintores. Dependendo do dia e horário pode ter um pouco de fila, evitar os fins de semana.
  • Museu Rodin: museu temático do escultor Rodin, famoso pela obra “O pensador”. Tem um jardim agradável, várias obras ficam no próprio jardim. Tem uma lojinha bem simpática, mas os preços são bastante salgados. O museu passou por uma reforma que terminou recentemente.
  • Museu Delacroix: não vale nem um pouco a pena. Era a casa onde Delacroix morou e foi transformada em museu em homenagem a ele. É pequena, tem algumas gravuras e obras secundárias do Delacroix. No Louvre tem mais obras do Delacroix e mais famosas, vale muito mais.

Museus de história

  • Les Invalides: para quem gosta de história e, principalmente, de história das guerras, é imperdível. É muito grande: tem duas igrejas, o Museu do Charles de Gaulle (todo tecnológico, foi inaugurado em 2007), a Tumba de Napoleão (vale a pena ver, é imensa) e tem a parte das armas, das guerras, armaduras, imagens de grandes generais (tem gente que acha essa parte chata, ela é bem específica de guerra). Dá para ir a pé dele até a torre Eiffel, é uma boa caminhada, mas muito agradável.
20150929_131432
Museu de Les Invalides ao fundo
  • Carnavalet: o professor de Revolução Francesa recomendou que fossemos a esse museu, disse que era o melhor de Paris, imperdível. #sqn ODIEI, achei desorganizado, não tem explicação, você não sabe o que são as coisas. A minha definição para esse museu é que tinha um monte de coisas que não se encaixavam em outros museus e decidiram criar um museu e colocar tudo o que sobrou nele. Não recomendo e o pessoal que viajou comigo e foi a esse museu não gostou também.
  • História Natural: museu muito bonito, perto dele tem um parque lindíssimo também. Tem vários animais empalhados. Achei bem interessante. Perto dele parece que tem o zoológico, mas não fui.
  • Casa do Augusto Comte: a casa do pai do positivismo virou um museu em sua homenagem e em homenagem à corrente. O mais legal é que um brasileiro que é o responsável por esse museu existir, afinal o Brasil tem uma conexão muito forte com o positivismo como o lema da nossa bandeira “Ordem e progresso”. Apesar de ter gostado muito não é um lugar essencial ou imperdível.

Castelos

  • Versalhes: não tem muito o que falar, é Versalhes! É imenso, tem várias áreas, parece uma cidade. Tem o castelo em si, tem construções à parte, tem o jardim, tem uma parte bem distante com construções antigas meio abandonadas lindas que tem até animais (vaca, galinha), nunca vi nada igual, muito lindo.

Dicas preciosas:

  1. Calçado confortável (se vocês quiserem desbravar – quase – completamente o lugar, porque completamente nem M. Antonietta que morou lá conseguiu hehehe, tem que andar muito. Tem uns trenzinhos que circulam, tem que pagar alguns euros, mas vale a pena. Quando fomos explorar o lugar fomos a pé, na volta morrendo voltamos de trenzinho)
  2. Levem comida, não tem muitas opções para comer, acredito que no verão tenha mais, mas mesmo assim é bom estar prevenido. Água também!
  3. Tem Áudio guia grátis e em português (de Portugal).
  • Fontainebleau: castelo em que todas as famílias reais francesas moraram. O interior dele é belíssimo. Áudio guia é muito bom. Para chegar lá tem que ir de trem, o castelo fica por volta de 1 km da estação de trem, mas a caminhada é agradável – dá para ir por dentro de um parque – ou dá para pegar um ônibus (na volta, cansados, optamos pelo ônibus). Se quiserem comer perto do castelo, tem um restaurante muito gostoso, chamado Bella Sera, fica perto de outros restaurantes, tem um toldo preto e é de comida italiana. Não é caro, preço normal, porções muito bem servidas, delicioso. Todo mundo que foi gostou.
  • Vincennes: um castelo bem diferente do de Versalhes e do de Fontainebleau. Enquanto os dois são decorados, tem os móveis, tapetes, objetos de decoração; Vincennes é só a construção mesmo. Fica em Paris, no fim da linha amarela, dá para ir usando o passe Navigo. Tem visita guiada. Há uma capela com vitrais lindos e com a luz do sol eles refletem nas paredes de pedra claras e os desenhos ficam perfeitos. É bom ir em um dia de sol e com bastante luminosidade. Tem uma lojinha bastante simpática, gostei muito.

Para aproveitar melhor os museus e castelos existem os áudio guias (gravadores com explicação sobre as obras), disponíveis em vários idiomas: inglês, francês e espanhol sempre tem. Alguns em português também. Dependendo do lugar eles têm um preço diferente, varia de dois a seis euros mais ou menos. Apesar de serem muito legais, as visitas com eles ficam mais demoradas se quiser ouvir tudo.

Monumentos

  • Torre Eiffel: dá para ir a pé (ingresso de estudante 4 euros) ou de elevador (até o topo 13,50 euros), mas para ir ao topo só de elevador. Assim como os museus é legal ir a noite. Cuidado com os restaurantes, lojas que ficam na torre, tudo é inflacionado.

Estações próximas: Trocadéro e Bir Hakeim. Perto da estação Bir Hakeim tem um restaurante muito gostoso, do qual falarei lá embaixo, o Eiffel Café.

DSC02865

  • Arco do triunfo: tem muitas escadas em caracol, mas vale a pena. O arco foi construído em homenagem aos triunfos nas guerras obtidos pelos franceses, ou melhor, por Napoleão. Legal ir à noite também.
  • Pantheon: no “subsolo” estão enterradas algumas das pessoas mais brilhantes da França e do mundo: Pierre e Marie Currie, Rousseau, Voltaire.
  • Roda gigante: custa 10 euros. Eu fui, gostei, mas não iria de novo. Não sei se vale a pena o preço cobrado, acho melhor usar esse dinheiro para outra coisa. A vista é legal, mas há outros lugares em Paris que têm uma vista melhor.
  • L’Ópera: linda por fora e por dentro, decoração muito luxuosa (#acaradariqueza), vale muito a pena ir e não demora muito.
  • Grand Palais: perto da Champs Élysées, tem exposições temporárias, quando eu fui estava tendo uma incrível de uma artista feminista e depois começou uma do Klint.

Cemitérios

Esse item pode parecer estranho hehehe, mas em Paris até cemitério é ponto turístico e tem glamour.

  • Cemitério Père Lachaise: cemitérios sempre parecem uma coisa meio triste e mórbida, mas eu senti tranquilidade e paz lá dentro. Vários famosos foram enterrados lá: Chopin, Allan Kardec, Honoré de Balzac, Edith Piaf, Jim Morrison… Tem uns túmulos muito impressionantes, imensos, que geralmente são de nobres ou generais (#aVidaacabaaOstentaçãonão)
  • Cemitério de Montparnasse: não cheguei a ir nesse cemitério, nele estão enterrados o Jean Paul Sartre e a Simone de Beauvoir.

Igrejas e Catedrais

  • Notre Dame: além de entrar na catedral, tem a opção de subir. Não recomendo entrar nela à noite porque é muito escuro, não dá para ver as cores dos vitrais, não dá para admirar toda sua beleza.
DSC02960
Notre Dame à noite

 

  • Sainte-Chapelle: meu lugar favorito em Paris, tem vitrais belíssimos, muito coloridos e contam a história bíblica. Tem dois andares, o de baixo que tem uma lojinha e o de cima que tem os vitrais. É legal sentar e ficar contemplando. O bom é que não demora muito tempo. Fica perto da Notre Dame, dá para ir a pé e é colada na Conciergerie.
DSC03600
Vitrais de Saint Chapelle
  • Sacré-Coeur: tem um funicular que leva até em cima, mas não é necessário usar, dá para ir de escada, andando, parando vendo a vista da cidade. Cuidado com uns homens que ficam com umas pulseiras para colocar no pulso dos turistas, eles assaltam as pessoas, não vi nada e nem entendi direito, mas é bom evitar. É bom ir em um dia de sol, com o céu limpo.
DSC03044
Bela Sacré-Coeur
  • Saint-Denis: Maria Antonietta está enterrada aqui, junto com todos os nomes que líamos nos livros de história (Luis XVI, Catarina de Médicis, etc, tem até o coração do Luis XVII). Tem um vitral redondo MARAVILHOSO. Os vitrais são lindos e coloridos.
  • Madeleine: de fora nem parece uma igreja, parece um templo grego. Perto da praça da Concórdia. 
DCIM101GOPROGOPR2971.
Madeleine

Outros

  • Conciergerie: prisão da época da Revolução Francesa, a Maria Antonietta ficou presa aqui.
  • Universidade de Sorbonne: tem a faculdade de letras, a de direito, todas ficam próximas e perto do Pantheon. Dentro do prédio de artes tem a lojinha de produtos da Sorbonne.
DSC02762
A famosa Sorbonne

 

  • Bateaux Mouche: um passeio muito gostoso de barco, vale a pena, você vê Paris sob uma outra perspectiva.
  • Catacumbas: não vale a pena. Ingresso caro (8 euros) pelo que oferece. A história desse lugar é que em dado momento, os cemitérios de Paris estavam muito cheios e transferiram as ossadas para o subterrâneo. Pelo que me lembro tem 2 km de extensão. Para quem tem claustrofobia ou não gosta de lugar escuro e fechado esse lugar não é nem um pouco indicado.

Estações de metrô

A maioria das estações de metrô de Paris são normais, mas algumas se destacam. Se estiverem no metrô e passarem por elas, deem uma olhada:

Nesse link tem uma lista das estações mais bonitas da cidade.

Parques de diversão

  • Asterix: é um parque temático, fica próximo de Paris. Ele só fica aberto no verão porque tem muitos brinquedos com água, mas não é um parque aquático (é para ir com roupa normal mesmo).
  • Eurodisney: ❤ nem tem muito o que falar desse lugar maravilhoso
  • La Vilette: como se fosse uma estação ciência, na verdade é um museu, mas pode ser um parque de diversões nerd. Tem muita coisa legal, simuladores. Fica na periferia de Paris, faz parte da ideia de levar cultura para onde geralmente as pessoas não tem acesso.

Bairros

  • La Defense: a Paris moderna, uma outra Paris. Surpreendente. Tem um arco moderno, dele dá para ver o arco do Triunfo. Não sei se dá para subir, mas dá para entrar, lá dentro é ocupado por escritórios. Tem uma estátua de dedo gigante, tem fontes, um lugar muito gostoso para andar, prédios modernos. Fica no fim da linha amarela (extremo oposto do Château de Vincennes).
  • Marais: bairro fofo, boêmio, cult, tem lojinhas legais. (nota da Amanda: Marais é sensacional!!!!!)
  • Montmartre: bairro da Sacré- Coeur, bairro do café da Amélie Poulin, bairro do Moulin Rouge.

Jardins, parques e praças

Os jardins são lindos, mais lindos ainda no verão em que as árvores estão verdinhas e as flores dão um colorido especial.

DSC03099
Place de la Republique

Para comer

Pratos Típicos:

  • Scargot: tem gosto daqueles cogumelos (shitake, shimeji) e lembra mariscos também. Maravilhoso quando preparado com molho de manjericão. No restaurante Eiffel Café (falarei dele mais para baixo) eles preparam assim e é o scargot mais barato que encontramos.
  • Doces: além do macaron, os franceses têm doces maravilhosos, bombas, tortinha de limão (sem o chantilly das tortinhas brasileiras e com creminho de limão siciliano), tortinha de morango (igual as do Brasil e tem uma de framboesa também), tem uma torta de maçãs invertida, profiteroles, crème brûlée (tem até uma barra de chocolate da Lindt recheada com creme brûlée – delícia)
  • Sopa de cebola (soupe a l’onion): mesmo gostando de cebola no começo resisti, achei muito estranho, pensei que fosse forte, deixasse gosto ruim na boca, mas decidi tomar. É muito gostosa, a cebola não fica forte, é caramelizada, acompanha pãezinhos e tem queijo. Em um dia mais friozinho vale a pena tomar.
  • Foie Gras: o famoso patê de fígado de ganso. No começo resisti também, mas é bem gostoso.
  • Croque monsieur (o misto quente dos franceses) e Croque madame (além do presunto e queijo do Croque Monsieur, tem ovo)
20150930_163103
Croque madame
  • Crepes: a tapioca está para os brasileiros assim como a crepe para os franceses.
  • Galette: é como se fosse crepe, mas a massa é escura. Dizem que as crepes são doces e as galletes salgadas, mas em muitos lugares, com a massa da crepe colocam recheio salgado.
20150928_132524
Gallete!
  • Croissant
  • Pain au chocolat
  • Madeleine: vende em todo lugar, nos supermercados, em lojas mais especiais, tem a tradicional, algumas de maracujá, morango, framboesa, muito gostosas.
  • Quiche Lorraine: esse tem no Brasil também, é o famoso quiche de bacon e queijo, muito gostoso.
  • Café/ Thé gourmand: é um café ou chá, dependendo do que você pedir que vem com três mini sobremesas. Dependendo do lugar é muito gostoso, em outros nem tanto. Recomendo o do restaurante da Amélie Poulain (da foto). Esse é o Thé gourmand, veio com um mini crème brûllé, uma colher de chocolate com creme de chantilly e um doce de maçã com castanhas bem suave.

DSC03086

 

Lugares para comer:

  • Amorino: os sorvetes são de Deus! E se existe algo melhor que macaron nessa vida, é macaron com recheio de sorvete italiano!!!! Os mini macarons custam 1,80 euros, caros pelo tamanho, mas vale muito a pena, recomendo que comam um pelo menos para experimentar.
  • Pierre Hermé: os melhores macarons do mundo, além dos macarons tem doces como o da foto que na verdade é um macaron mais elaborado. Foi caro, mas nunca comi um doce mais suave em toda a minha vida. ❤ Além da loja dele, outros restaurantes vendem os produtos PH.
DSC02945
Macaron Pierre Hermé

 

  • Chez Janou: restaurante muito gostoso, fica perto da estação Chemin Vert. De longe o melhor restaurante que fui em Paris. De entrada servem umas azeitonas temperadas maravilhosas. Dica: pedir carpaccio de atum, tem um molhinho de mel sensacional (como é grande por ser uma entrada dá para dividir). O macarrão com scargot é muito bom também. A melhor parte é a sobremesa. Se vocês pedirem mousse de chocolate, virá um pote enorme e vocês poderão se servir do quanto quiserem. Eu não sou muito fã de mousse de chocolate, mas esse é maravilhoso, suave, nunca comi um tão bom em toda a minha vida. Voltaria com certeza a esse restaurante.
  • Les deux Magots: fica perto da igreja Saint Germain, perto da estação Saint Germain de Près. É o café dos existencialistas, JP Sartre e Simone de Beauvoir frequentavam, além de Hemingway, Jorge Luís Borges…
  • Eiffel Café: comida gostosa, recomendo muito a sopa de cebola, o scargot é feito com um molho de manjericão delicioso, o foie gras é muito bom, só não recomendo o milk shake. Os garçons desse lugar são meio grossos, mas a comida compensa 😉 e o preço também é bom comparado a outros restaurantes.

Vocês podem pedir “une carafe d’eau” (uma garrafa de água torneiral) em qualquer lugar e ela não é cobrada. Pode parecer estranho para a gente tomar água da torneira, mas lá é bem comum, a água é boa, não tem problema.

Lugares para comprar comida:

  • Monoprix: tem de tudo, doces, salgados, frutas, chocolates.
  • Marks & Spencer: Um mercadinho fofo e delicioso, tem um na Champs e outro perto da Sorbonne e acredito que tenham outros também. Tem docinhos, balinhas, sucos, geleias, sanduíches, comidas prontas para esquentar em micro ondas, tem uma limonada natural em uma garrafa fofa que é deliciosa, no verão então para refrescar não há nada melhor.

Compras

Lojas de roupas

  • Mango: fast fashion espanhola
  • Naf Naf: uma ótima fast fashion francesa, tem várias por Paris, inclusive uma na Champs Elysées. Roupas fofas, blusinhas arrumadinhas, uma gracinha

Outros

  • City Pharma: sinônimo de felicidade! vcs tem que ir!!! Além de ter todos aqueles cosméticos maravilhosos franceses que aqui custam uma fortuna. É meio cheia porque é a farmácia mais barata de Paris, com os melhores produtos e menores preços.
  • Shakespere and Company: essa livraria é uma fofura e fica perto da Notre Dame.
  • Galleries Lafayette: no último andar tem uma vista linda. Vende muitas coisas de marca, mas mesmo com as promoções achei tudo bem caro, não comprei nada =( hehehe
DCIM101GOPROGOPR2973.
Galleries Lafayette por dentro
  • Champs Elyssés: ❤ ❤ ❤ meu segundo lugar favorito em Paris. Passear a noite na Champs é lindo #acaradariqueza. Tem Sephora, H&M, Svarovsky, loja da Disney…

Transporte

Passe Navigo vale muito a pena. Cada passagem individual de metrô custa 1,80 euros. Se você compra um bilhete para 10 viagens, por exemplo, sai mais barato (dá para comprar nas máquinas, pagar com dinheiro ou cartão e dá para escolher em que língua vocês querem as instruções). Mesmo assim, o que vale a pena é comprar um passe Navigo. A taxa do passe é de 5 euros e por uma semana custa por volta de 20 euros. Vende nos guichês de várias estações de metrô. Levem uma foto 3×4 de vocês para colocarem no passe e vocês tem que escrever o nome. Tem que tomar cuidado com uma coisa: o dia que vocês comprarão o passe. Por exemplo, eu comprei o mensal primeiro, comprei no dia 6 de janeiro, eu “perdi os outros dias” (dia 1 ao 5) porque ele vale no mês (de janeiro, no meu caso), não por 30 dias. No caso do semanal, ele vale de segunda a sábado (se não me falha a memória), se vocês chegarem quinta, por exemplo, não vale a pena comprar o da semana, porque vocês teriam perdido segunda, terça e quarta. Não lembro se dá para comprar por dia o Navigo. Qualquer coisa vocês podem calcular mais ou menos quanto usarão de metrô e comprar um bilhete que sirva para várias viagens (como o de 10 viagens que eu falei acima). Mesmo que vocês comprem o unitário, é muito importante guardar o bilhete até o fim da viagem, porque pode haver fiscais verificando se vocês estão com a passagem e se vocês tiverem jogado fora, será como se não tivessem comprado a passagem.

  • Metrô: aceita Navigo
  • RER: é um metrô/trem. Na periferia é como se fosse um trem e na cidade como se fosse um metrô. Para ir a Versalhes se me lembro bem dá para ir de RER.
  • Trem: usado para ir a outras cidades ou outros países. Para ir a Fontainebleau, tem que pegar um trem.
  • Ônibus: aceita o passe Navigo.
  • Táxi: não compensa usar, com tantas opções de transporte público. Mesmo a noite, dá para pegar o metrô, claro, com cuidado e verificando o horário que as linhas fecham (cada linha tem um horário)

Do aeroporto

Aeroporto internacional Charles de Gaulle

RER – custa 10 euros o bilhete, o problema são as malas, uma grande aventura, mas dá para ir. Tem que ver também onde é o hotel, para ver se vale a pena ir de RER, se não tem muitas conexões.

Uber – motoristas profissionais, como se fosse um táxi, mas mais barato, chama pelo aplicativo. Uma corrida do nosso alojamento para o aeroporto dava 35 euros, mas a primeira corrida tem 10 euros de desconto, então ficou 25 euros e dividimos em 2, ficou bem em conta. Acho que dá para dividir em até 3 pessoas, dependendo do tamanho das malas.

Táxi – muito caro, lembro que era algo em torno de 60 euros.

Para sair à noite

  • Baladas: Duplex – perto do Arco do Triunfo e da Champs Elysées
  • Bar/balada: Café Oz – bem animado, gostei bastante, tem um perto da estação de metrô Denfert Rochereau. O ingresso pode ser convertido em bebida, mas em apenas uma e algumas específicas, então escolham a mais cara hehehe
  • Barzinhos – happy hour: a pedida é o bairro de Saint German de Prés

A noite também dá para ir a museus e monumentos. A torre e o arco ficam abertos até tarde, é lindo ver Paris de cima à noite. E é bom porque dá para otimizar o tempo, deixar para ir a esses monumentos que ficam abertos à noite e fazer coisas que fecham durante o dia. O museu do Louvre e o D’Orsay ficam abertos um dia da semana até mais tarde.

Por Sofia de Compostela

Sofia de Compostela, 22 anos, paulistana, ruiva, estudante de direito, sonhadora nas horas vagas.

Lembrando que no blog já tivemos posts sobre Paris aqui, aqui, aqui e aqui!

 

12 comentários Adicione o seu

  1. Sosô disse:

    Mands! Amei o post! Muito obrigada pelo espaço e carinho. Você sabe que sou muito sua fã e do seu blog 😍 Um beijo enorme

    Curtido por 2 pessoas

  2. Parabéns! Já fui para Paris e posso dizer que o seu guia está mais do que completo! Abracos!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Sosô disse:

      Muito obrigada Roberto! Abraços =)

      Curtido por 1 pessoa

  3. Maravilhoso esse guia de Paris! Uma cidade tão grande, com taaaanta coisa pra fazer… vou novamente em novembro e usarei várias dicas suas!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Espero que aproveite, Gabriela!

      Curtir

  4. Mariana Bueno disse:

    Coisa mais linda Paris! ❤ E o melhor é que, cada vez que leio um texto novo sobre a cidade, vejo que ainda há muitos lugares que não fui. Então tenho sempre motivos para querer voltar!!!

    Curtido por 1 pessoa

  5. Guia mais que completo!! Lendo já dá pra perceber que foi escrito por quem entende demais da cidade! Contribuição e tanto pro blog 🙂 Adorei

    Curtido por 1 pessoa

  6. Paula Oliveira Abud disse:

    Com esse guia dá pra aproveitar Paris da melhor maneira! Adorei principalmente as descrições e fotos dos restaurantes rsrs Que comidas deliciosas, fiquei doida pela macaron *-*

    Curtido por 1 pessoa

  7. Já estava com vontade de voltar a Paris. Agora acabei de descobrir que ainda não fiz muita coisa legal por lá!!rsrs Ótimo guia!!

    Curtido por 1 pessoa

Opine aqui à vontade!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s