Peru

Cusco, Peru (primeira parte)

Saindo de Copacabana, pegamos um ônibus noturno até Cusco, com uma parada de uma hora no terminal de Puno, já no território peruano.

Chegamos às 5 da manhã em Cusco e pegamos um taxi para o hostel, que não tinhamos reservado. Como é baixa temporada dá pra chegar em qualquer hostel e pedir quarto.

O hostel em si é um dos mais famosos da comunidade mochileira, o Loki, conhecido por suas festas e boa reputação. Há 5 Loki na América do Sul, em Cusco, Salta, Mancora, Lima e La Paz. O de Cusco é bem legal, apesar de estar localizado numa mega ladeira (imagina subir isso a noite depois da balada, é osso).

Tem um bar bem grande, festa todas as noites, comida de qualidade, 24hrs de chá e café (quem me conhece sabe do meu amor por chá e como eu pirei com isso rs) e camas confortáveis.

Demos sorte e conseguimos fazer check in às 7 da manhã. Descansamos bastante e utilizamos muito a wifi, que estava distante de nós havia dois dias já rsrs

Cusco

Tomamos café no hostel e eu queria fazer o Free Walking Tour de Cusco, mas minhas amigas estavam cansadas e com os joelhos machucados (sim, as duas!) e não queriam ir.

Resolvi ir sozinha, mas antes fui dar uma volta para trocar dinheiro e ter uma ideia geral da cidade. De cara, me apaixonei!

Primeiras Impressões

Que cidadezinha mais fofa, cheia de história, arquitetura e cultura! Acho que o que eu mais gostei mesmo foi que Cusco lembra muito alguma cidade do interior da Espanha. De fato a colonização espanhola teve muita influência aqui. Ah, e me surpreendi com a “americanização”: Starbucks, McDonalds, KFC…

Cusco

Cusco

Cusco

Depois do passeio resolvi almoçar sozinha na cidade, mas durante a refeição comecei a ter muuuita tontura e me sentir fraca. Percebi que nao daria para fazer o Walking Tour desse jeito e voltei para o hostel. Tomei muito chá de coca e descansei bastante…

Minhas amigas haviam ido até o Mercado Central com dois amigos americanos (lembram deles do hostel em La Paz?, pois bem, nos encontramos de novo aqui!) e eu fiquei descansando. Fiz uma coisas chatas, tipo lavanderia e dar uma volta no supermercado para comprar lanche.

Cusco
Um dos muitos centrinhos de souvenir da cidade

Vida mochileira

No fim da tarde, minha amiga alemã que me acompanhou desde o Atacama veio no meu hostel me ver, já que ela estava em Cusco, mas em um hostel diferente. Acabamos indo jantar os seis: eu, minha amiga alemã, minha outra amiga alemã, minha amiga holandesa e nossos dois amigos americanos.

Fomos num restaurante típico peruano, e um dos meninos comeu porquinho-da-índia, um prato bem diferente e interessante do Peru hehe. Ainda não experimentei, mas pretendo logo!

Cusco
Porquinho-da-índia pronto para ser devorado

Voltamos pro hostel e a festa começou. Lá no bar do Loki mesmo tem um monte de jogos, karaokê e promoção de bebidas. Nos divertimos até o bar fechar (lá pras 2h30), e depois o pessoal continuou a festa numa balada de Cusco, em que todos os hostels se encontram. Eu estava podre (lembrando que haviamos chegado de Copacabana aquela manhã) e fui dormir #miada

Cusco
Bebida “típica” do Loki, Blood Bomb, tem até uma World Cup de países pra ver quem consome mais. Na real, é só vodca com energético rs

Acordamos cedo porque finalmente nosso amigo suiço que teve problemas para sair do Chile chegaria de Lima na estação de ônibus e queríamos ir recebê-lo. De ressaca e mortas, lá fomos nós animadassas.

Porém, mission fail: esperamos por umas duas horas e nada dele chegar. Isso que é ruim de depender de wifi. Acabamos voltando pro hostel preocupadas.

Culinária típica

Já era meio dia e nada dele aparecer, resolvemos seguir com o dia e ver se ele chegava de noite. Fomos almoçar no Mercado de San Pedro. Típico e legal, mas pela proximidade com o centro histórico da cidade, também era bem turístico. O mercadão mais turístico que fui durante toda a viagem.

Almoçamos ceviche e… Não gostei. Eu já havia comido ceviche antes, mas não sei por que não gostei do peruano. Gourmets do mundo, me matem, mas não comi nem metade de um tipico ceviche peruano… E olha que sou gulosinha kkk

Cusco
Ceviche peruano típico

As meninas resolveram voltar pro hostel para ver se tinham notícias do nosso amigo e eu fui encontrar minha amiga alemã que não estava hospedada em nosso hostel. Ela ia fazer uma tatuagem e queria que eu a acompanhasse. Ameeeeei o resultado: um mapa mundi no pulso. Achei lindo!!

Reencontro

De lá, havíamos marcado de encontrar as meninas e os americanos no Museu do Chocolate, que na verdade só nos interessava porque dava amostras de chocolate de graça rs. Ao encontrá-los, uma grata surpresa: nosso amigo suiço havia chegado e estava lá!! Seu ônibus atrasou 3 horas por causa de um problema na estrada, mas ele estava bem. Foi uma felicidade só!

Do museu fomos num lugar de souvenir que tinha alpacas (ou lhamas, ainda nao aprendi direito a diferença) soltas e se podia tirar foto. Andamos mais um pouco pela cidade e voltamos pro hostel pra descansar. À noite, saímos para um jantar de despedida com minha amiga alemã, pois ela iria embora na manhã seguinte…

Cusco

Do restaurante, maaais festa no hostel! Hehe mas novamente não fui pro after na balada porque estava morta #miada2

Acordamos tarde no dia seguinte e logo arranjei companhia pro Free Walking Tour: meu amigo suiço se juntou a mim e lá famos nós.

Free Walking Tour

Demos muiiiita sorte e não havia mais ninguém pro tour, então fomos só nós dois e o guia. Foi divertidíssimo e muito legal, além de termos ganho pisco (bebida típica peruana/chilena, os países brigam a respeito disso) no fim! Foi o máximo, nós e o guia bebendo pisco com a linda vista de Cusco. O Tour é Free com caixinha, você dá depois o quanto quer pro guia.

Cusco
A famosa pedra de 12 ângulos de Cusco

Cusco

De lá, fui almoçar com meu amigo e voltamos pro hostel pra encontrar as meninas. No caminho, fechamos nossa excursão para Machu Picchu: faríamos a Inka Jungle, uma trilha de 4 dias e 3 noites pela selva peruana até MP. Em uma parte do caminho realmente passamos pela Trilha Inca original. Esta, se você quer fazer, precisa reservar com pelo menos três meses de antecedência e é bem cara.

Barganhas

A Inka Jungle é uma opção pros de última hora, mas também há outras trilhas que podem ser feitas, ou mesmo excursões mais básicas de um dia até MP. Quanto ao preço da Inka Jungle: o preço de tabela é 220 dólares, mas como boa brazuca e barganhadora que sou, encontrei uma agência por 140 dólares!

E se você tem a carteirinha internacional de estudante (ISIC), há 20 dólares de desconto. Então só paguei 120 dólares! Sendo que o resto do pessoal da nossa excursão pagou entre 200 e 300 dólares. Sim, as agências juntam um monte de gente, não importa o quanto você pagou, assim como no Salar de Uyuni.

Adoro economizar rsrs. Íamos sair para jantar à noite e depois dormir cedo, pois iríamos para a trilha lá pelas 7 da manhã. Porém, logo antes de sairmos para jantar, comecei a me sentir mal… Sim, de novo!! Muito frio, dor de cabeça… Resolvi ficar descansando enquanto meus amigos iam comer.

Essa foi a parte 1 de Cusco, pois depois de MP eu volto à cidade para mais alguns dias! O próximo post será sobre minha experiência com a Inka Jungle! Não percam… hihihi

Beijos,

Amanda

Opine aqui à vontade!

Deixe uma resposta

7 comentários

    Cusco é sem dúvida uma das minhas cidades favoritas no mundo, gostei bastante do clima da cidade e dos lugares tão mágicos, quero voltar assim que possível! Abraços